Make your own free website on Tripod.com
 
 
Título: Origem da Medalha Milagrosa
Autor(a): Ir. Lucy Cunha, FC
 

 

A VIDENTE DA MEDALHA MILAGROSA

Catarina Labouré nasceu a 2 de maio de 1806, em Fain-les-Moutiers, na Côte-d'Or, França, numa família numerosa. Órfã de mãe em tenra idade, teve de assumir a direção da fazenda de seu pai e a educação dos irmãozinhos menores.

Aos 24 anos, depois de enfrentar a oposição momentânea do pai a seu projeto de ser Filha da Caridade de S. Vicente de Paulo, entra para a Congregação. Após o Postulado feito em Châtillon-sur-Seine, parte para Paris, a fim de fazer seu Noviciado, (Seminário, como dizia S. Vicente). É nele recebida a 21 de abril de 1830, na rua du Bac, 140

Passados alguns dias, teve a felicidade de participar das festas da transladação das relíquias de S. Vicente de Paulo, levadas triunfalmente da Catedral de Notre Dame para a Capela da Casa Mãe dos Padres Lazaristas, na rua de Sèvres.

No seminário, Catarina recebe muitas graças extraordinárias: Aparições ou Visões corporais, imaginativas e intelectuais. Exteriormente, em nada se distingue das outras Irmãs, senão por uma necessidade completa e absoluta de passar despercebida, de proteger-se com o véu do silêncio.

No final de seu Seminário, dela foi dito apenas isso: "Catarina Labouré tem boa saúde, bom caráter, espírito e juízo não vivos. É piedosa e trabalha na virtude".

Somente o Padre Aladel, seu confessor e confidente, a observava melhor e a seguia muito de perto. Estudava-a cuidadosamente, mas, isso depois de haver desconfiado dela durante mais de um ano. Em 1836, conta, sem revelar-lhe o nome, que desde o Seminário a vidente da Medalha praticou a virtude até o heroísmo, sobretudo as virtudes fundamentais de simplicidade, discrição, retidão.

No final de seu Seminário, dela foi dito apenas isso: "Catarina Labouré tem boa saúde, bom caráter, espírito e juízo não vivos. É piedosa e trabalha na virtude".


APARIÇÃO DE 18 PARA 19 DE JULHO DE 1830

Vejamos como se deu: Irmã Catarina é acordada às 23h 30, por uma criança resplendente de luz, desce com ela à Capela, toda iluminada como se fora noite de Natal. Aí espera por Maria que chega de repente.

Após prostrar-se diante do Tabernáculo, a Virgem senta-se na cadeira do Padre Diretor. Catarina ajoelha-se então junto dela, coloca as mãos sobre seus joelhos, olha-a, escuta-a. Conversam durante quase duas horas... A Virgem retira-se, como veio. E Catarina é de novo, acompanhada pela criança ao dormitório. Ela se deita e... não consegue dormir...
Neste colóquio, a Virgem anuncia à Irmã Catarina uma missão a ser por ela assumida.



A GRANDE APARIÇÃO DA MEDALHA MILAGROSA

Na Capela da Casa Mãe, à rua du Bac, às 17h30 do dia 27 de novembro, às Irmãs do Seminário começam a sua oração, no mais profundo silêncio...Catarina está no meio delas. De repente, escuta, à sua direita, como o fru-fru de um vestido de seda de alguém que caminha. Levanta a cabeça e vê diante de si, acima da imagem de São José, a Santíssima Virgem. Ela a contempla com toda a sua alma!

A Virgem, de estatura mediana, está de pé; veste- se de branco aurora. O véu branco que lhe cobre a cabeça, desce, de cada lado, até os pés, deixando-lhe o rosto bem descoberto. Os pés apoiam-se numa metade de globo e pisam uma serpente. Segura, à altura do peito, um globo de ouro encimado por uma cruzinha. Seu rosto é todo beleza... e os olhos estão voltados para o Céu.

Inesperadamente, em seus dedos, surgem anéis com pedras preciosas que emitem raios mais brilhantes uns que os outros e se vão alargando, à medida em que descem. O globo que trazia nas mãos, desaparece... Então a Santíssima Virgem muda de atitude. Abaixa os olhos para a terra, para seus filhos e, com bondade, vai presenteá-los com uma Medalha, com a sua Medalha. Maria deslumbrante de beleza e de luz estende os braços para o globo em que pisa.

Neste momento de comunicação íntima entre a Virgem e Catarina, um quadro oval se forma lentamente ao redor da Imaculada e em letras de ouro aparecem as palavras: "Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós".

No coração da vidente, faz-se ouvir esta voz:
"Mandai, cunhar uma Medalha conforme este modelo. Todas as pessoas que a trouxerem ao pescoço, com confiança, e rezarem com piedade esta oração, gozarão de proteção toda especial da Mãe de Deus e receberão graças abundantes."

Em seguida, o quadro se vira e Catarina vê, maravilhada, o reverso de Medalha. A letra "M" encimada por uma cruz, tem na base uma barra. Abaixo do M, os Corações Santíssimos de Jesus de Maria. O 1º coroado de espinhos e o 2º transpassado por uma espada. Ao redor, doze estrelas.

Uma voz interior diz a Catarina: "O M e os corações dizem o bastante".

 

A MISSÃO DE CATARINA

A bela Missão de Catarina consistiu, principalmente, em mandar cunhar a Medalha, em fazer com que fosse conhecida e usada. Por este meio, seria criado um belo movimento mariano na Igreja que se prepararia para a Proclamação do Dogma da Imaculada Conceição. Maria também lhe pedira que fosse fundada uma Associação de jovens que se chamariam Filhas de Maria. (começaram a existir em 1838).

Na humildade, por intermédio do Padre Aladel, Padre da Missão, que é seu diretor espiritual, a Mensageira da Medalha Milagrosa realiza os planos de Deus e da Santíssima Virgem...

Por sua FIDELIDADE, a Irmã Catarina Labouré recebe, a 31 de dezembro de 1876, a grande graça, a graça das graças: uma santa morte! E entra no gozo da visão beatífica!


QUESTIONAMENTO

1) E nós ? Entendemos nossa missão de propagadores da Medalha Milagrosa ?
2) Usamos a Medalha Milagrosa com devoção ?
3)Conhecemos a mensagem pastoral da Medalha ?


 
Página Principal
Santuário da Medalha Milagrosa